Acorde diminuto e meio diminuto

Usamos o sustenido ou o bemol b logo após a letra representativa da nota. Um acorde de Dó por exemplo, possui outras notas, mas é o Dó o som mais forte, por isso usamos a letra C para o acorde.

Formação de acordes e cifragem

Tríades maiores, menores, diminutas e aumentadas: Observe a tabela abaixo:. Na montagem do acorde na guitarra é muito comum a dobra de uma, duas ou até das três notas do acorde.

Para Dó menor usamos a letra C para representar a tônica seguida de m ou. Para Dó tríade diminuta usamos a curso tecnico de edificacoes C para representar a tônica seguida de m b5 ou — b5 ou — A montagem de um acorde natural segue a regra: Por isso é importante termos praticado aquele exercício da aula de graus e intervalos, o círculo das terças.

Vamos recapitular a sequencia do ciclo das terças: Veja o quadro abaixo:. Muito importante observar o seguinte: Isso significa dizer que nem sempre encontraremos as notas perfeitamente na sequencia 1 3 5. As notas podem se repetir a vontade. Leia-os na tablatura abaixo. Vamos tocar a sequencia:. Vamos agora montar o campo harmônico de todos os outros tons que conhecemos: Basta respeitar duas regras: Imagine que estamos querendo montar um acorde que possui uma determinada tríade.

Vamos montar essa tríade com a quinta diminuta em vez de quinta justa, ok?

Digamos Dó menor com quinta diminuta. Esse acorde possui apenas 4 notas e ficou com um nome bem grande e complicado. O sexto grau maior também pode ser chamado de sétimo grau diminuto. Legal, mas isso facilitou alguma coisa na nossa nomenclatura?

O que é um acorde diminuto?

É… existe isso também. Você vai morrer doido! Você reparou que eu mencionei só tonalidades maiores? E as tonalidades menores?

Aí é que entram as. Agora pense um pouco aí… se as escalas têm as mesmas notas, e o campo harmônico, como é? Pois é isso mesmo… o campo harmônico tem os mesmos acordes. O acorde fundamental no campo harmônico de C é C.

Graus musicais – conceito complementar

E no de Am… é Am, claro. Isso lhe diz alguma coisa? Quando você aprende os acordes de um campo harmônico maior, automaticamente aprendeu os acordes aprender a estudar para concursos outro campo harmônico menor!

Um dos benefícios de se conhecer os acordes relativos é que em cada campo harmônico, exceto o acorde diminuto, cada um dos outros acordes tem seu relativo no próprio campo harmônico. E assim ocorre nos demais campos harmônicos. Por exemplo, o acorde C… A nota fundamental é — claro — a nota C. No acorde Am, a nota fundamental é A.

E assim por diante. O acorde relativo de um acorde maior é sempre um acorde menor. O acorde relativo de um acorde menor é sempre um acorde maior. Por exemplo, o acorde C. Portanto o acorde relativo de C é Am. A partir da nota fundamental seguimos 3 casas para a frente. A seta azul mostra como localizar o acorde relativo de um acorde maior.

2 Comentário

  1. Bianca:

    A montagem de um acorde natural segue a regra:

  2. Letícia:

    Nos dois exemplos acima você pode ver que temos os mesmos acordes.